O evento

O evento em celebração ao mês da mulher, realizado em parceria com a Casa do Saber Rio, propõe uma mesa de debates com representantes de diferentes coletivos e projetos de impacto social criados por mulheres e voltado para o público feminino.

Entre os temas a serem abordados no encontro estão a apresentação de iniciativas de sucesso e debate sobre temas como direitos da mulher, assédio, mercado de trabalho, empreendedorismo e representatividade. 

A mediação ficará a cargo da atriz, humorista e ativista Maria Paula, enajada em diversos projetos sociais, como a Embaixada da Paz, e que em seu livro Liberdade Crônica discute questões como a intolerância, a discriminação e os direitos humanos, além de compartilhar experiências como uma mulher na televisão.

Confira como foi:

+ Participação dos coletivos Não é Não, Think Olga e Das Pretas.

Veja fotos da Roda de Conversa do Dia da Mulher em Vitória

Bate-papo abriu o ciclo de eventos de 2019 na sede da Rede Gazeta, em Vitória, na manhã desta terça-feira (12)

Apresentação

Em 1983 Maria da Penha Maia Fernandes, casada, farmacêutica, decidiu por fim aos seus dias de sofrimento e angústia. Depois de ser violentada física e emocionalmente pelo marido durante seis anos de casamento, ela resolveu buscar o seu direito de uma vida digna e sem maus tratos. 

Após sofrer duas tentativas de assassinato, ela decidiu denunciar o marido, que só foi punido depois de dezenove anos de julgamento, ficando preso em regime fechado por apenas dois anos, para revolta de Maria com o poder público. Em razão disso, o Centro pela Justiça pelo Direito Internacional e o Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher (CLADEM), juntamente com a vítima, formalizaram uma denúncia à Comissão Internacional de Direitos Humanos da OEA, órgão internacional responsável pelo arquivamento de comunicações de violação desses acordos internacionais.

 

 

Pois bem, seu exemplo acabou mudando a vida de tantas outras mulheres que passam pelo mesmo processo de banalização dos direitos humanos. A Lei 11.340, sancionada em 2006, conhecida como Lei Maria da Penha em homenagem ao caso nº 12.051/OEA, tem por objetivo principal o aumento no rigor das punições das agressões contra a mulher quando ocorridas no âmbito doméstico ou familiar.

Consciente da importância da conscientização e do processo educacional e cultural envolvendo toda a sociedade e em comemoração ao dia Internacional da Mulher, a Rede Gazeta realizará o projeto Roda de Conversa. O mesmo promoverá uma campanha educativa voltada para a informação, fazendo com que as pessoas, principalmente as mulheres que sofrem abusos, possam buscar seus direitos junto aos órgãos responsáveis.

Confira:

A lei

A lei alterou o Código Penal Brasileiro e possibilitou que agressores de mulheres no ambiente doméstico ou familiar sejam presos em flagrante ou tenham sua prisão preventiva decretada. Estes  agressores também não poderão mais ser punidos com penas alternativas e a legislação aumenta o tempo máximo de detenção previsto de um para três anos; a lei ainda prevê medidas que vão desde a saída do agressor do domicílio à proibição de sua aproximação da vítima agredida.

 

OFERECIMENTO: