Molde tendências do décor para este ano segundo sua personalidade

—————– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE —————–

Papel e caneta em mãos. Os traços dão forma às metas da nova jornada que se inicia. Com ou sem incertezas, os primeiros meses do calendário quase sempre acompanham ousadas promessas.

E a mudança inclui não só trocar o tapete de lugar e levantar a poeira. O processo se dá dentro de cada pessoa e pode refletir nas transformações que ocorrem também no interior da residência. Vale ficar de olho nas tendências de decoração e moldá-las, conforme os gostos dos donos e das donas dos lares.

“Abra as gavetas, os álbuns e as malas. Exponha o que gera boas sensações. A casa precisa ser sua e de mais ninguém. Não precisa usar algo que não desencadeie boas lembranças. Se dá alegria, diz algo sobre quem é você e se tem memória afetiva, emoldure, resgate, restaure e mantenha vivo”, orienta a arquiteta e urbanista Karla Madrilis.

Segundo ela, o segredo é não seguir modismos ao dar um up na casa. Em relação às estampas, quanto menos artificial, melhor. “Elas vão seguir em alta, desde que sejam suaves e remetam à natureza, especialmente à fauna e à flora”, destaca. Na hora de escolher as tonalidades, é importante ter bom senso. “Azul marinho, amarelo açafrão e verde petróleo são elegantérrimos”, acrescenta Karla.

Como de costume, a empresa americana Pantone elege a cor de cada ano. Para 2019, Living Coral é a selecionada. “É um tom leve de coral, que combina com cores neutras e que remetem aos elementos naturais.

“Também permite combinações inusitadas e alegres”, destaca a arquiteta e urbanista Vanessa Cristina.

De acordo com a profissional, vale optar por elementos e cores que remetam à natureza. “Está em alta a combinação de materiais, como pedras, madeiras e vegetação. É atemporal e traz aconchego ao ambiente. Além disso, a pegada sustentável continua sendo uma tendência na área da arquitetura”, acrescenta.

Em alta

A mistura de estilos pode entrar no circuito do ano, aposta a arquiteta Carminha Ribeiro. “Linhas curvas com linhas retas, tons neutros e quentes, madeira com metais e rochas ornamentais”, revela. E dá para fazer as modificações na casa sem precisar gastar muito. “Pintura, papel de parede, adornos, almofadas, quadros e luminárias podem renovar e mudar completamente os ambientes”, recomenda a profissional.

Nesse contexto, o palpite da arquiteta Nina Abadjieff relacionado às tendências inclui as texturas e os relevos, além de tons pastel. “Sobre os revestimentos, estarão em alta as opções em  mármore e madeira, além de cerâmica retangular, concreto, cobre e cobertura hexagonal”, destaca a arquiteta.

Durabilidade

Para a arquiteta Raquel Maciel, uma boa pedida é investir na qualidade dos materiais para que sejam duradouros. “E sempre buscar inspirações. Para isso, contratar o serviço de um arquiteto ou um designer é uma excelente ferramenta para que suas ideias e expectativas sejam otimizadas e compatíveis com o orçamento disponível”, finaliza.

Está em alta!

Revestimentos

Terra, pedra, madeira e cimento. Cheios de textura e   cor. Quanto mais parecido com natural, melhor.

Salas

Abuse do que diz sobre você ao  visitante. É uma maneira de dizer: “venha cá e me dê um abraço”.

Quartos

São verdadeiros casulos. Recarregamos neles a energia para o dia. Aposte nos objetos táteis, como mantas, plantas, redes, cadeiras de balanço e livros.

Cozinha

Está em alta deixar os temperos à mão, além de utensílios práticos e belos,  para cozinhar e decorar.

Banheiros

Agora são salas de banho, cheias de detalhes. As  bases estão limpas e fluidas, e os metais são reluzentes.

Varanda

A varanda – quando não existente – passou a ser do lado de dentro. Salas, cozinhas, quartos e até banheiros repletos de plantas. Vasos pequenos e grandes, suspensos ou de piso, dizem ao mundo que a natureza está presente.

Compartilhe:

Você também vai gostar: