"Com tantas marcas disponíveis, fico mais segura quando escolho A MAIS LEMBRADA."

"Entre tantas marcas, fico sempre com A MAIS LEMBRADA."

"Pesquisei na internet, pedi a opinião de amigos e acabei levando A MAIS LEMBRADA."

"Não recomendo qualquer marca. Indico sempre A MAIS LEMBRADA."

''Na dúvida, não penso duas vezes: levo A MAIS LEMBRADA. ''

Revista Digital

Sobre o Recall

Recall de Marcas da Rede Gazeta premia as marcas mais lembradas



O fato de uma marca ser conhecida pelo público ajuda no momento da decisão de compra. Quando o consumidor é questionado sobre o que vem a sua cabeça ele tem na ponta da língua a resposta. O nome disso é lembrança de marca. No Espírito Santo, essa lembrança se materializa na pesquisa Recall de Marcas que A Gazeta realiza há 23 anos em parceria com o Instituto Futura.

No próximo dia 28 de maio a Rede Gazeta premiará essas marcas que estão vivas na memória dos votantes, na 23ª edição do Recall de Marcas. Nesse ano, o evento vai premiar os vencedores de 69 segmentos de produtos e serviços, após uma pesquisa realizada pelo Instituto Futura, com mais de 2 mil entrevistas com pessoas acima de 16 anos, onde é feito um levantamento das marcas que estão presentes na mente dos consumidores da Região Metropolitana e do interior do Estado.

O levantamento teve teve seu formato de envolvimento transformado e adaptado ao longo das ultimas 22 edições e abraça o objetivo de tratar, com precisão, o perfil das marcas mais lembradas pelo consumidor e atestar sua força no mercado.

Depois de finalizada, a pesquisa premia os primeiros colocados em um evento único no mercado capixaba, que recebe a presença de empresários de renome e convidados. Além disso, uma revista com o resultado do prêmio circulará encartada em A GAZETA, para todos os leitores, no dia 29 de maio, dia seguinte à premiação. A revista já se tornou um instrumento essencial para avaliar o impacto das ações de marketing realizadas pelas principais marcas que atuam no mercado capixaba.

No mercado capixaba de publicidade e marketing, o Recall de Marcas é uma importante ferramenta para se ter uma ideia do quanto uma marca vale. "Qual a métrica ideal? No planejamento de uma marca, as empresas e agências utilizam diversos dados para determinar o sucesso de uma estratégia: vendas, imagem, satisfação, lembrança. E em meio às informações, a pesquisa de Recall se sobressai, seja pelo alcance, pela maturidade alcançada ou por sua credibilidade, tornando-a referência para o mercado e para as decisões estratégicas de clientes de todos os portes", avalia Mário Guerra, diretor da Set Comunicação.

O Recall não trata de avaliar a melhor ou a pior marca, a que vende mais ou a que vende menos. Trata de levantar o registro que está no consciente do consumidor sobre aquele produto ou serviço levantado.

O questionário feito pelos entrevistadores da Futura traz a seguinte pergunta: “Quando eu falo em (segmento) qual a marca lhe vem à cabeça?”. Entre as categorias pesquisadas, estão escola de idiomas, material de construção, construtora de imóveis, hospital, gráfica, entre outras.

“A pesquisa é o maior instrumento de aferição de lembrança de marcas do Espírito Santo. Com uma metodologia testada ao longo desses anos, é uma ferramenta obrigatória de anunciantes e agência de propaganda para balizar suas estratégias e desempenhos. O Recall é uma referência de mercado e de credibilidade de A GAZETA”, afirma o diretor comercial Mídia Impressa e Digital da Rede Gazeta, Fábio Ruschi.

Vencedores

Os 69 segmentos de produtos e serviços da 23ª edição do Recall de Marcas são:

  1. Alimentos Embutidos Derivados de Carne: Friboi
  2. Arroz: Sepé
  3. Atacado: Atacadão
  4. Banco: Banco do Brasil
  5. Bom atendimento: Eletrocity, Itapuã Calçados e Sipolatti
  6. Café: Número Um
  7. Cerveja: Skol (AMBEV)
  8. Chocolate: Garoto
  9. Clínica de Reabilitação Física: Crefes
  10. Comércio Eletrônico: Bom Negócio.com e Mercado Livre
  11. Consórcio: Honda
  12. Construtora de Imóveis: Lorenge
  13. Cooperativa: Sicoob
  14. Curso Técnico Profissionalizante: Ifes
  15. Empresa de Ônibus: Águia Branca
  16. Empresa de Transporte de Carga: Colatinense
  17. Empresa de Vigilância: Visel
  18. Entrega em domicílio: Eletrocity, Extrabom e Farmácia Rede Farmes
  19. Escola de Idiomas: CCAA
  20. Escola Particular de Educação Infantil: Darwin e Sesi
  21. Fábrica de Automóveis: Volkswagen
  22. Farinha de Trigo: Regina
  23. Farmácia de Manipulação: Alquimia e Mônica
  24. Farmácia/Drogaria: Rede Farmes e Santa Lúcia
  25. Financeira: Dacasa
  26. Frango: Kifrango
  27. Gráfica: Grafitusa
  28. Grande Empresa: Petrobras e Vale
  29. Grupo Empresarial: Grupo Buaiz e Grupo Dadalto
  30. Hospital: Meridional
  31. Imobiliária: Universal
  32. Instituição de Ensino Superior Particular: Faesa
  33. Joalheria: Primo
  34. Laboratório Análises Clinicas: Tommasi
  35. Leite e Derivados: Selita
  36. Loja de Calçados: Itapuã
  37. Loja de Decoração: Dadalto e Megalar
  38. Loja de Departamentos: C&A e Dadalto
  39. Loja de Eletrodomésticos: Eletrocity
  40. Loja de Informática: Digital Tiger
  41. Loja de Móveis: Danúbio e Sipolatti
  42. Loja de Presentes: Dadalto
  43. Loja de Roupa Infantil: Balãozinho
  44. Loja de Roupa/Cama /Mesa e Banho: Casas Santa Terezinha
  45. Loja de Tintas: Politintas
  46. Marca de Roupa (Etiqueta): Cristal Graffiti
  47. Marca de Roupa Infantil: Balãozinho
  48. Marca de Suco de Frutas: Tang
  49. Marca Recomendada - Estadual: Adidas e Águia Branca
  50. Marca Recomendada - Regional: Dadalto, Eletrocity e Sipolatti
  51. Material de Construção: D&D
  52. Mistura para Bolo: Regina
  53. Moda Praia: Magia do Mar
  54. Motel: Status Motel
  55. Operadora de Telefone: Vivo
  56. Operadora de Telefonia Celular: Vivo
  57. Ótica: Diniz
  58. Papelaria: Castorino Santana
  59. Plano de saúde: Unimed
  60. Pós Graduação: UFES
  61. Preço Baixo: Extrabom
  62. Preservação do Meio Ambiente: Ibama
  63. Refrigerante: Coca Cola
  64. Responsabilidade Social: Vale
  65. Sal: Globo
  66. Seguro: Banestes
  67. Shopping Center: Vitória
  68. Sorvete: Kibon
  69. Supermercado: Casagrande e Extrabom
  70. Top of Mind: Omo

Entrevista

Como uma marca forte pode fazer a diferença e gerar resultados financeiros para as empresas? Qual a dificuldade de se manter no topo? As novas tecnologias trouxeram desafios para as marcas tradicionais? Como criar uma marca forte no mundo globalizado e cada vez mais competitivo?

Em entrevista ao Jornal A Gazeta, o renomado jornalista Rafael Sampaio destacou a importância de se ter uma marca forte, as dificuldades de se manter na liderança e os desafios que as novas tecnologias trazem para as empresas.

Segundo Sampaio, apesar das marcas serem uma ótima maneira de aumentar a competitividade de produtos, serviços e empresas, o branding (gestão das marcas) ainda é bastante falho na grande maioria das organizações. Para o jornalista, uma marca, mantém a independência, segura o preço, aumenta o valor e garante o futuro.

No Brasil, ele acredita que é difícil encontrar algum empresário ou executivo de marketing/comunicação que não diga que a marca e o branding são muito importantes, mas não é fácil encontrar quem de fato acredite nisso e se empenhe em levar a gestão de branding realmente a sério. Ou seja, estamos diante de uma coisa que é muito sonhada e falada, mas efetivamente pouco praticada. "As transformações na sociedade, na economia, na cultura, na comunicação e no comportamento do consumidor vão alterar muito a formatação das marcas, mas devem mudar pouco a sua essência".

Para Rafael, os erros mais comuns na gestão das marcas são: não levar a marca a sério; fazer apenas uma parte do que deve ser feito;acreditar que a marca resolve deficiências competitivas físicas, estruturais e funcionais; não definir uma estratégia, arquitetura e engenharia de branding e esperar resultados muito rápidos, investindo pouco e de forma irregular. "Não existe marca forte sem comunicação integrada e não tem sentido fazer comunicação se não for para construir marca. A comunicação constrói, suporta, mantém e renova os sistemas de valor das marcas através do desenvolvimento da percepção de seus valores pelos consumidores".

Considerado o melhor jornalista brasileiro especializado em comunicação de marketing, Rafael Sampaio é publicitário e jornalista, consultor da Associação Brasileira de Agências de Propaganda (ABAP), ex-vice-presidente executivo da Associação Brasileira de Anunciantes (ABA) e ex-membro do Conselho Executivo da Federação Mundial de Anunciantes (WFA), também é fundador e editor de About (uma das principais publicações especializadas em propaganda no Brasil) e foi o fundador e presidente do Voto Popular e do Prêmio About Mídia. Rafael Sampaio também faz regularmente palestras em eventos de publicidade, de marketing e de branding no Brasil e no exterior. É autor de "Marcas de A a Z" e de "Propaganda de A a Z", exemplar sobre propaganda mais vendido no país desde seu lançamento.

A resposta desses e outros questionamentos também foram apresentadas a empresários convidados, na palestra "Marcas fortes fazem a diferença?", em um evento de lançamento do Recall de Marcas 2015 de A Gazeta.

1- Qual a importância de ter uma marca forte?

Na maior parte das categorias de negócios, hoje, o fator de sucesso mais importante é ter uma marca forte, ou seja, conhecida e valorizada pelos consumidores e trade do setor. Além de possibilitar mais negócios ao longo do tempo, elas permitem vendas a preços e condições melhores – o que significa que são mais sustentáveis em termos empresariais.

2- Como converter essa liderança da marca em resultados financeiros positivos?

Se a marca é realmente forte, ela é mais rentável. Se não gerar caixa positivo é porque a marca não é forte - ou ela ainda não chegou lá ou já entrou na curva descendente.

3- A fusão de empresas é uma estratégia viável para se criar uma marca forte?

Não necessariamente. Quando uma das empresas já tem uma ou mais marcas fortes, o aumento da potência de negócios pode fortalecer ainda mais a marca ou marcas. Se as marcas das duas empresas são fortes, será importante decidir em quais se vai apostar para o futuro e deixar a outra ou outras morrer(em). Se as duas empresas só têm marcas fracas, é importante selecionar em qual investir.

4- Temos muitas marcas fortes no Brasil ou a cultura brasileira é de valorização de marcas estrangeiras?

Temos muitas marcas fortes de origem brasileira, mas a maioria das marcas que se destacam são de fora (ou pertencem a empresas estrangeiras) porque as multinacionais investem mais em marcas que as nacionais. Para o consumidor, tanto faz. O problema são as empresas brasileiras, que em sua maioria ainda pouco acreditam em marcas.

5- No mundo competitivo de hoje, a construção de uma marca forte está mais relacionada aos resultados das vendas de produtos e serviços ou as estratégias de comunicação e marketing?

É sempre uma combinação, mas o marketing e a comunicação vêm primeiro, pois são os investimentos nessa área que levam ao aumento de vendas e ao fortalecimento das marcas. Isso só não dá certo quando o consumidor se decepciona com a entrega do produto ou do serviço e não repete a compra.

6- Qual seria o foco essencial de uma estratégia de comunicação para o fortalecimento de uma marca?

Descobrir um ponto que seja relevante para o consumidor visado e pertinente para a marca promocionada e insistir na comunicação desse ponto.

7- Quais os erros mais frequentes das empresas nas estratégias de comunicação que visam fortalecer uma marca, e quais as maiores dificuldades encontradas nesse processo?

São muitos os erros, começando pela falta de definição de um bom posicionamento e pelo irregularidade na qualidade e no volume da comunicação. É preciso anunciar o que é relevante/pertinente, com boa qualidade criativa e de produção.

8- O surgimento da Internet e, consequentemente, de novos meios de comunicação e formas dos consumir informação trouxe novos desafios para marcas tradicionais já consolidadas na liderança do mercado?

Basicamente são dois os principais desafios: encontrar e persistir na melhor fórmula de comunicação (tipo e conteúdo de mensagem e espectro de mídias digitais mais adequadas) para a marca, por um lado, e não deixar que as muitas marcas concorrentes (diretas e indiretas) que estão na internet ocupem seu espaço conceitual e a frequência de presença no target visado.

9- Com a concorrência mundial e o surgimento constante de novas empresas quais são as dificuldades encontradas para as empresas já consolidadas no mercado de se manterem no topo?

Tudo está mais difícil e mais complexo, porque existem muito mais concorrentes e os consumidores estão mais críticos e mais espertos. O que tem valorizado ainda mais as marcas como o principal ativo competitivo da maioria das empresas que estão fazendo sucesso (ou estão a caminho dele).

10- Nos deixe uma dica para quem está inserindo uma marca nova no mercado.

Não fazer nada que o consumidor que ele está visando não veja como sendo de valor e não seja capaz de identificar e reconhecer como bom. A coisa mais importante da marca é avaliar se a sua “promessa” convence e satisfaz o consumidor.